ABNC Nuts realizará 1º Encontro do Polo Sul-Americano da Noz-Pecã

Argentina, Brasil e Uruguai já são importantes produtores de noz-pecã, tendo grande potencial produtivo. Com o objetivo de integrar as pesquisas nesse novo polo, estaremos realizando o primeiro encontro das entidades de pesquisa, onde serão abordados aspectos da atual situação da noz-pecã em cada país, quais os desafios, onde podemos e queremos chegar e, especialmente, como atingir esses objetivos de crescimento trabalhando, pesquisando e gerando tecnologia como um bloco produtivo.

Contamos com sua presença!

É dia 27/10, das 10h às 12h.

Para acompanhar o evento gratuitamente, acesse o link http://b.link/c65dj

ABNC Nuts realiza IX Encontro Brasileiro de Nozes e Castanhas

Produtos naturais e saudáveis cada dia ganham mais espaço nas refeições dos consumidores, e as nozes e castanhas são a bola da vez nesse mercado. Por isso, a ABNC Nuts traz para o IX Encontro Brasileiros de Nozes e Castanhas palestras sobre a evolução das nozes e castanhas no Brasil e no mundo e a importância de uma alimentação adequada em uma realidade pós pandemia.

21 de setembro de 2020 | das 10h às 12h

MEDIAÇÃO

José Eduardo Mendes Camargo

Presidente da ABNC, Vice-Presidente do CIESP e Diretor do DEAGRO-FIESP

PALESTRAS

Inovando em produtos e mercados

Richard Waycott

CEO e Presidente da Almond Board of California

Nozes como fonte de saúde – Pesquisa no Mundo

Profº Jordi Salas

Professor Emérito de Nutrição da Espanha, que coordena as pesquisas mundiais no setor de Nozes

Impulsionando o Mercado Asiático

Profº Marcos Jank

INSPER – São Paulo e Ex- BRF em Singapura

CASTANHA-DO-BRASIL CULTIVADA E O MEIO AMBIENTE

Ao lado do extrativismo tradicional de castanha-do-Brasil, há 40 anos, soma-se a atividade de cultivo das castanheiras (Bertholletia excelsa HBK), o qual contribui positivamente para o meio-ambiente ao propiciar a recuperação de áreas degradadas no bioma da Floresta Amazônica brasileira. Com esse cultivo, baseado em técnicas desenvolvidas pela Embrapa e testado em larga escala no Estado do Amazonas, é possível colaborar para tirar a espécie do risco de extinção, valorizar a floresta em pé e contribuir para o sequestro de carbono da atmosfera. Além disso, o cultivo de castanheiras pode ser estendido à desafiadora recuperação de áreas desmatadas por pequenos produtores que vivem na floresta, proporcionando-lhes a oportunidade de plantar, concomitantemente às suas roças, uma espécie florestal adequada e que perdura ao longo do tem po.

Alimentação no centro do combate ao Covid-19.

Não é segredo que a manutenção de uma alimentação saudável e equilibrada é fator essencial para a manutenção de boa condição de saúde, para a ampliação da imunidade e para a prevenção de inúmeras doenças. O mesmo raciocínio, que vale para o câncer, a diabetes, a obesidade, e para diversas doenças cardiovasculares, apenas para citar algumas, também se aplica ao novo coronavírus, ou Covid-19.

Um estudo publicado recentemente pelo EAT-Lancet, liderado cientistas dos campos da saúde, nutrição, agricultura e meio ambiente, destaca a importância das nozes e castanhas para a ampliação da imunidade, destacando-os como substâncias fundamentais para a manutenção da saúde. E esses benefícios devem ser considerados pela população em geral especialmente agora, no contexto da pandemia provocada pelo Covid-19.

Ricos em Zinco e proteínas vegetais, as castanhas e as nozes auxiliam no desenvolvimento e na diferenciação das células do sistema imunológico e anticorpos, desempenhando um papel fundamental para que o organismo possa se proteger de diversas doenças, mantendo-se ou sendo menos agredido por organismos estranhos e prejudiciais.

De acordo com o estudo do EAT-Lancet, elaborada com vistas a sugerir caminhos para que os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU fossem possíveis, é necessário estimular a redução em mais de 50% de alimentos não saudáveis – incluindo carne vermelha, adoçantes artificiais e grãos refinados -e ampliando em mais que o dobro o consumo de alimentos saudáveis – a exemplo de nozes, castanhas, frutas, vegetais e legumes, o que exigirá mudanças dos padrões atuais de produção de alimentos.

Além de favorecer a saúde da população mundial num momento muito delicado, a ampliação do consumo de nozes e castanhas favorece um setor importante do agronegócio brasileiro, de um segmento extremamente representativo para a geração e recuperação da economia. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE, em 2017 o setor representou mais de 44% do PIB brasileiro.

O Brasil tem, capacidade e potencial para se tornar um dos principais produtores do mundo de nozes e castanhas, uma cultura relevante, distribuidora de rendas, bastante versátil e representativa de benefícios à saúde e ao meio ambiente. Estimular o consumo de castanhas e nozes é fator crucial para a manutenção da saúde física e econômica não apenas da nação brasileira, mas de todo o mundo.

José Eduardo Mendes de Camargo, é presidente da Associação Brasileira de Nozes e Castanhas (ABNC) e diretor do Departamento de Agronegócios da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP).

Descobertas recentes sobre os benefícios para a saúde do consumo de castanhas e frutas secas

Castanhas e frutas secas fazem parte da dieta humana desde tempos pré-históricos. São alimentos ricos em nutrientes e constituem um meio excelente de fornecer compostos bioativos que promovem a saúde. Desse modo, são importantes itens de lanches saudáveis, além de serem parte de muitas receitas tradicionais e novas da gastronomia mundial.

O consumo frequente de castanhas e/ou de frutas secas é altamente recomendado para extrair todo o benefício dos nutrientes, bioativos e antioxidantes que elas contêm, além de seu sabor delicioso.
Cientistas do CIBEROBN-Instituto de Salud Carlos III de Madri analisaram os bioativos das castanhas e frutas secas, destacando seus benefícios para a saúde. 

“Os macronutrientes, micronutrientes e outros compostos bioativos para a promoção da saúde que as castanhas e as frutas secas contêm podem contribuir sinergicamente para modular o risco de doenças cardiometabólicas e de outras doenças não transmissíveis, por meio de vários mecanismos”, dizem os cientistas.

Pesquisas experimentais, estudos prospectivos e ensaios clínicos com humanos relataram os efeitos benéficos do consumo de castanhas em vários resultados para a saúde, enquanto os benefícios das frutas secas foram menos explorados.

“Esta análise resume as recentes descobertas quanto aos constituintes bioativos, alegações e benefícios para a saúde proporcionados pelas castanhas e frutas secas, além de também discutir seu grande potencial como alimentos saudáveis no combate a várias doenças que afligem os seres humanos”, concluíram os cientistas.

Fonte: Cesarettin Alasalvar, Jordi-Salas Salvadó, Emilio Ros, ‘Bioactives and health benefits of nuts and dried fruits’, 2020, Food Chemistry, Volume 314, 126192.

Embrapa e USP de São Carlos desenvolvem robô que mapeia a composição do solo em tempo real

Pesquisadores da Embrapa, em parceria com a Universidade de São Paulo (USP) de São Carlos (SP), desenvolveram um robô capaz de mapear o solo das plantações em tempo real e no próprio local. A tecnologia facilita e agiliza o trabalho do produtor na hora de fazer o preparo do solo e aumenta a produtividade das plantações.

O robô emite um laser que quebra as moléculas do solo e as partículas formam uma espécia de nuvem de luz, com uma temperatura a 100 mil graus. É essa luz que é analisada pelo equipamento.

“Nós podemos analisar macro e micronutrientes, contaminantes, a textura de solo, carbono, e o PH, a acidez do solo”, explicou a pesquisadora da Embrapa Débora Milori.

Rapidez

O robô da Embrapa promete facilitar a vida do produtor. Atualmente, para analisar o solo pelo método tradicional é preciso levar uma amostra do solo para o laboratório. O resultado demora aproximadamente 15 dias para ficar pronto. Já usando o robô, a análise é feita na hora, sem sair do campo.

Os dados coletados pelo robô são expostos na tela do computador por meio e gráficos mostram a concentração de nutrientes e outras substâncias presentes no solo.

Com a análise em tempo real, o produtor consegue aplicar os nutrientes necessários para fazer a composição ideal do solo com rapidez, o que ajuda a aumentar a produtividade.

“Se a gente consegue fazer um mapeamento do solo, a gente consegue aplicar o fertilizante de forma mais racional, aplicar onde a planta precisa, isso também evita que apliquemos o fertilizante demais, em um determinado local, e evita que isso infiltre e acabe contaminando o lençol freático”, explicou Débora.

Tecnologia

O equipamento usa a mesma tecnologia do robô enviado pela Nasa para a missão espacial de exploração à Marte. É feito de alumínio e tem mais de um metro de altura e uma suspensão que permite que ande sobre as plantações. A orientação é feita por meio de um GPS.